quinta-feira, 29 de maio de 2008

Os 40 anos de 1968

Por Mariana Schneiderman (Editoria de Política)

Esquecer 1968, o ano que fez tremer o mundo inteiro, é uma tarefa, no mínimo, difícil. Estudantes esquentaram e ferveram a cidade luz, a Alemanha, Brasil. E uma das trilhas sonoras da época, que ecoavam nos ouvidos de todos, o famoso álbum dos Beatles, Sgt. Pepper´s Lonely Hearts Club Band, mudou a história da música.

Esse ano, o conhecido e velho 68 virou “quarentão”. Quatro décadas de história e de muitas histórias ocorridas até os dias de hoje. Os temores e aflições deram lugar a outros, criaram-se novas religiões, as drogas, antes sinônimos de liberdade e paz, agora dão lugar ao crime, o planeta sofre com o aquecimento global, nossos ideais se transformaram em outros e a nossa realidade não dá asas a imaginação.Tudo isso sem se quer, nos darmos conta.

Integrado a globalização acelerada, até as paisagens viraram do avesso: Cidades brasileiras viraram metrópoles, o tráfico de drogas ocupa bairros e favelas e a segurança do país está completamente do avesso.A política virou palhaçada, sinônimo de papo tedioso e bem conhecido pelos golpes e pela sujeira.Mesmo com esse futuro, que acredito, que ninguém imaginou que seria assim, o ano de 1968 preserva seu charme e sonhos que cada um teve um dia.

Vendo na retrospectiva, 68 mistura nostalgias e contradições. No nosso país, que vivia sob uma forte ditadura militar, que derrubou presidente, cassou políticos, condenou intelectuais ao exílio, torturou e matou opositores. Havia também disputa pelo excelente ensino público nas escolas, os celulares nem eram artigo de luxo. A televisão era aclamada por poucos e a porcentagem de universitários era bem pequena, e obviamente para a elite.

No Brasil e pelo resto do planeta, Che Guevara era um mito.O revolucionário, sinônimo de rebelião e coragem, virou um ícone pop. Curiosamente, embora a associação dos anos 60 aos protestos estudantis, as principais mudanças ocorreram fora das ruas, e sim dentro de casa, nos valores.

Quatro décadas depois de 68, o poder se tornou enigmático. 2008 mostra uma sociedade pulverizada, sem sonhos por um mundo melhor, sem união, sem força juvenil. Voltando aos Beatles, o sonho acabou, se foi, mas a ganância, não.

2 comentários:

Revisor disse...

Erro:
"Estudantes esquentaram e ferveram a cidade luz, a Alemanha, Brasil."

Sugestão:
"Estudantes esquentaram e ferveram a cidade luz, a Alemanha,o Brasil..."

Revisor disse...

Erro
"E uma das trilhas sonoras da época, que ecoavam nos ouvidos de todos..."

Sugestão
"E uma das trilhas sonoras da época, que ecoava nos ouvidos de todos..."